selic

A taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, foi elevada 12 vezes consecutivas desde março do ano passado. Essa sequência de altas, a mais longa desde o final dos anos 90, foi interrompida pela reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, nesta quarta-feira dia 21 de setembro.

O Copom decidiu manter a taxa de juros em 13,75% ao ano. Analistas acreditam que esse patamar vá ser mantido até a metade do ano que vem, quando deve começar um processo de redução gradual que leve a Selic aos 11,25% ao ano no fim de 2023.

Inflação desacelera no Brasil e contribui para manutenção da taxa Selic

Embora a desaceleração da inflação no Brasil explique porque o Copom decidiu manter por hora a Selic inalterada, a decisão não foi tomada de forma unânime, pois dois dos nove membros do comitê votaram por um aumento de 0,25 ponto percentual.

Entre as causas apontadas para a recente desaceleração da inflação no Brasil, que em agosto experimentou o segundo mês consecutivo de deflação (queda geral de preços), estão a redução das cotações do petróleo nos mercados internacionais e o corte de tributos sobre itens essenciais.

Nos Estados Unidos a taxa de juros aumentou

Nos Estados Unidos, também no dia 21 de setembro, o FOMC (Federal Open Market Committee ou, em português, Comitê Federal de Mercado Aberto), que estabelece a política monetária do Fed, banco central americano, decidiu elevar os juros em 0,75 ponto percentual.

Isso resulta como parte de seus esforços em curso para controlar a inflação, que atingiu níveis que não eram vistos nos Estados Unidos há quatro décadas.

Qual o impacto das taxas de juros no mercado cripto?

Uma questão de interesse para os investidores em criptomoedas é como esses ativos, cujo mercado atravessa uma fase prolongada de baixo desempenho, serão afetados pelas decisões, tão diferentes uma da outra, tomadas pelos citados bancos centrais, o americano e o brasileiro.

De modo geral, uma redução nas taxas de juros como a Selic tornam os investimentos de renda fixa menos interessantes. Isso gera uma fuga de capital em direção à renda variável, que é a classe de ativos a qual pertencem as criptomoedas.

Entretanto, a importância do mercado estadunidense costuma, nesses casos, ser preponderante. Então não é um bom sinal a manutenção nos Estados Unidos de uma política de aperto monetário que, aliás, com a decisão do FOMC, tornou-se ainda mais rigorosa do que antes.

Isso pode exercer efeito inibidor sobre as cotações das criptomoedas porque ela tira a liquidez do mercado que poderia ser investida nestes ativos, pelo menos no curto prazo.

É provável que, com o dinheiro ficando mais caro, o capital remanescente será direcionado para classes de investimentos que sejam consideradas mais seguras, como a dos títulos públicos.

Aliás, convém lembrar que a adoção de uma política monetária mais restritiva pelo banco central americano é apontada como um dos motivos para as quedas das cotações das principais criptomoedas a partir do fim do ano passado.

Independente da taxa Selic, mercado cripto deve demorar para voltar a subir

Ressalte-se que qualquer esforço para prever a trajetória das cotações das criptomoedas pode ser frustrado por fatos novos e surpreendentes (por exemplo, decisões governamentais) ou pela própria natureza volátil desses ativos.

Além disso, eles não existem há tempo suficiente para que os analistas possam contar com um número significativo de dados sobre como se comportam em diferentes condições macroeconômicas.

É preciso também levar em conta que, quando cai a certo nível, o preço de um ativo que se desvalorizou bastante pode torná-lo atrativo. É o que pode acontecer com moedas como o Bitcoin, cuja cotação em dólares é menos de um terço do seu pico, que foi alcançado em novembro de 2021.

Novos projetos interessantes também podem atrair o interesse dos investidores. Como exemplos disso destacam-se as boas fases de pré-venda de IBAT e TAMA, tokens de utilidade de plataformas de gaming.

Resta saber se uma melhora do mercado resultará na valorização deles daqui por diante, ou se o entusiasmo despertado terá sido algo apenas passageiro.

De qualquer modo, é provável (mas não garantido) que uma recuperação geral do mercado de criptomoedas não se inicie enquanto o Fed não tiver se convencido do sucesso de suas medidas anti-inflacionárias e decidido afrouxar um pouco a política monetária.

O resultado disso, é que possivelmente ainda será comum encontrar criptoativos com valores descontados, gerando uma margem de segurança ainda maior para investimentos de longo prazo.

Criptoativos são um investimento de alto risco e podem não ser indicados para novatos.

Notícias relacionadas

Tópicos populares

Nenhum conteúdo encontrado, volte em breve!