fundos de criptomoedas

Os fundos de criptomoedas sofreram acentuadas e persistentes quedas, resultado do baque que as cotações de criptomoedas têm sofrido nos últimos tempos. Por certo, isso causou perdas a muitos investidores.

Mas as dificuldades do fundo Three Arrows chamou a atenção para as tribulações que fundos de criptomoedas e outros negócios baseados nelas estão enfrentando com as radicais correções do mercado.

Fundos de criptomoedas são fundos que investem em diversos criptoativos. Assim, quem investe neles está investindo no portfólio de criptomoedas (e outros ativos digitais) do fundo, em vez de comprar uma ou outra moeda diretamente.

Além dos fundos de criptomoedas, há plataformas que fazem a intermediação de empréstimos em criptomoedas. Um exemplo é a Celsius Network, de quem falarei mais adiante.

O investimento em criptoativos deve ser feito com cautela devido à volatilidade do mercado.

Fundos de criptomoedas ainda não oferecem garantias incontestáveis

Segundo o site The Defiant, dedicado a acompanhar o mercado de criptomoedas, o fundo Three Arrows Capital (3AC) vendeu, no começo da semana, pelo menos US$ 40 milhões em Staked Ether (stETH).

O ativo costumava estar atrelado à criptomoeda Ethereum. Entretanto, isso mudou desde que a empresa Celsius Network (CEL) começou a vender ativos para fazer frente às retiradas feitas pelos usuários.

Aliás, a situação da Celsius é ilustrativa dos perigos a que os investidores estão submetidos. Ela oferecia empréstimos baseados em Bitcoins depositados por investidores, incluindo fundos de hedge que buscavam remunerações mais altas do que as oferecidas pelos bancos.

Incertezas sobre a Celsius Network derruba o preço do token CEL

Já há algum tempo havia críticos lançando dúvidas sobre a liquidez da Celsius Network, às quais seu cofundador, Alex Mashinsky, muitas vezes respondia no Twitter.

Em 11 de junho deste ano, por exemplo, Mashinsky perguntou ao investidor Mike Dudas se ele conhecia alguém que tivesse tido problemas em sacar seu dinheiro depositado com a empresa e, se a resposta era negativa, por que ele estaria espalhando “medo, incerteza e dúvida”?

No dia seguinte, porém, alegando uma situação excepcional no mercado, a Celsius congelou os depósitos dos investidores. Como resultado, essa atitude fez com que explodissem especulações sobre sua possível insolvência. O resultado foi uma queda de quase 80% no valor do token CEL em um prazo de 10 dias.

Como a revista de negócios Fortune observou em um artigo, em seus termos de uso, a Celsius afirma que os investidores podem não ter, sob as leis vigentes, recurso para reaver investimentos feitos com a empresa.

Em caso de insolvência, os depositantes da Celsius, que não é um banco, não teriam direito a socorro da Federal Deposit Insurance Corporation, agência americana equivalente ao nosso Fundo Garantidor de Crédito.

Os credores não-segurados teriam que ir para o fim da proverbial fila, e, como reconhece a própria Celsius em seus termos de uso, é imprevisível dizer qual seria o resultado de procedimentos de insolvência para os depositantes. Na prática, seus recursos poderiam ser usados para pagar outros credores, que desfrutam de prioridade legal.

Entretanto, a confiança dos investidores na plataforma parece estar voltando, uma vez que o valor da CEL já é mais de 3 vezes maior do que era no início desta semana. Isso mostra a extrema volatilidade do token no momento.

gráfico CEL

Gráfico mostrando o preço de CEL em reais.

Fundos de criptomoedas enfrentam dificuldades em tempos de bear market

De volta ao fundo 3AC, seus problemas não se limitam aos ativos em staked Ethereum, que vendeu com prejuízo. Além disso, teve grandes perdas em seus investimentos em Terra Classic (LUNC), cuja cotação despencou em maio deste ano.

Ao mesmo tempo, o fundo tem vultosos investimentos em criptomoedas como Solana (Sol) e Luna (Luna), cujas cotações no momento são inferiores a um décimo de seus picos. Além de outros projetos de finanças descentralizadas.

Diante do cenário preocupante e das desconfianças no mercado, a plataforma de empréstimos Nexo, que tem um token, NEXO, afirmou que não tem investimentos ligados ao 3AC, portanto, tem o capital necessário para saldar seus compromissos quando for necessário.

Há no mercado compreensível nervosismo quanto à saúde dos empreendimentos baseados em criptomoedas em tempos de correções. Sem falar das inúmeras dúvidas quanto aos direitos dos investidores em caso de insolvência. Mas, pelo menos por enquanto, a maioria dos grandes fundos do setor, como os da Greyscale e os da Pantera Capital, não apresentam problemas óbvios.

Contudo, quanto mais durar a queda do mercado de criptomoedas, mais tempo terão os investidores para se familiarizar novamente com a verdade daquela famosa observação do lendário Warren Buffett: “Apenas quando as águas baixam, dá para saber quem estava nadando nu”.

Notícias Relacionadas


Tópicos populares

Nenhum conteúdo encontrado, volte em breve!