como se calcula preço das criptomoedas

Você já deve ter ouvido por aí que o mercado das criptomoedas é altamente volátil, ou seja, tem flutuações grandes de preço em curtos períodos, e pode se perguntar o que torna as criptomoedas valiosas.

Não é raro que o Bitcoin (BTC) aumente ou diminua o preço em 5% ou até mesmo 10% em um determinado dia. As criptomoedas menores podem ter oscilações de preço ainda mais amplas.

Então, vamos explicar no que prestar atenção para fazer projeções corretas sobre os preços das moedas nas quais você investe. Começamos dizendo que é preciso estar sempre a par das últimas notícias sobre o mundo cripto, e você pode fazê-lo ao acompanhar o site de notícias em português da B2C.

O investimento em criptoativos pode não ser adequado para investidores novatos, que podem perder o total do valor investido.

Entendendo o valor de uma criptomoeda

As criptomoedas geralmente não são apoiadas por nenhuma autoridade central da mesma forma que as moedas fiduciárias, as chamadas fiat, ou outro meio de troca sancionado pelo governo.

O apoio do governo pode aumentar a fé no valor de uma moeda entre os consumidores. No entanto, as criptomoedas são geralmente descentralizadas, assim, elas derivam seu valor de outras fontes, incluindo:

  1. Oferta e demanda
  2. Custo de produção
  3. Disponibilidade nas exchanges
  4. Concorrência
  5. Governança
  6. Regulação

1. Oferta e demanda de criptomoedas

O valor de uma criptomoeda é determinado pela oferta e demanda, como qualquer outro produto que as pessoas desejam. Se a demanda aumenta mais rapidamente do que a oferta, o preço sobe. A criptomoeda ganha valor quando a demanda sobe mais do que a oferta.

O mecanismo de fornecimento de uma criptomoeda é sempre conhecido; cada moeda publica seus planos de cunhagem e queima de tokens. Alguns, como o Bitcoin (BTC), têm um suprimento máximo fixo; sabemos que haverá apenas 21 milhões de Bitcoins. Outros, como o Éter (ETH), não têm limite de fornecimento.

Algumas criptomoedas têm mecanismos que “queimam” os tokens existentes para evitar que a oferta circulante cresça muito e cause uma inflação. Queimar um token significa enviá-los para um endereço irrecuperável na blockchain.

A política monetária de cada criptomoeda é diferente. A oferta de Bitcoin aumenta em uma quantidade fixa com cada novo bloco minado na blockchain. O Ethereum oferece uma recompensa fixa por bloco minerado, mas também paga pela inclusão de “uncle blocks” no novo bloco, o que ajuda a facilitar a eficiência da blockchain. Como resultado, o aumento da oferta não é tão fixo. Alguns fornecimentos de criptomoeda são ditados inteiramente pela equipe encarregada de um projeto, que pode optar por liberar mais tokens para o público ou queimar tokens para administrar o fornecimento de dinheiro.

A demanda pode aumentar à medida que um projeto ganha consciência ou à medida que a utilidade aumenta. A adoção mais ampla de uma criptomoeda como investimento também aumenta a demanda, ao mesmo tempo em que limita efetivamente a oferta circulante. Por exemplo, quando investidores institucionais começaram a comprar e deter Bitcoin no início de 2021, o preço da Bitcoin aumentou significativamente à medida que a demanda ultrapassou o ritmo em que novas moedas foram criadas, diminuindo efetivamente a oferta total disponível de Bitcoin.

Da mesma forma, à medida que projetos mais descentralizados de financiamento (DeFi) são lançados na blockchain Ethereum, a demanda por Ethereum aumenta. O Ethereum é necessário para realizar transações na blockchain, independentemente da moeda criptomoeda com a qual você está transacionando. Ou, se um projeto DeFi decolar sozinho, seu próprio símbolo se tornará mais útil, aumentando assim a demanda.

2. Custo de produção

Novos tokens cripto são produzidos através de um processo chamado mineração. A mineração de criptomoedas envolve o uso de um computador para verificar o próximo blockchain de bloqueio. A rede descentralizada de mineiros é o que permite que a criptomoeda funcione como ela funciona. Em troca, o protocolo produz uma recompensa na forma de tokens de criptomoeda, além de quaisquer taxas pagas pelas partes de troca aos mineiros.

A verificação da blockchain requer poder computacional. Os participantes investem em equipamentos caros e eletricidade para extrair a criptomoeda. Em um sistema de proo of work, como os utilizados pela Bitcoin e Ethereum, quanto mais concorrência houver para a mineração de uma determinada criptomoeda, mais difícil será a mineração. Isso porque os mineiros essencialmente concorrem uns com os outros para resolver um problema matemático complexo, a fim de verificar um bloco. Como tal, o custo para minerar aumenta à medida que equipamentos mais potentes são necessários para minerar com sucesso.

À medida que os custos da mineração aumentam, é necessário um aumento do valor da criptomoeda. Os mineiros não vão minerar se o valor da moeda não for suficientemente alto para compensar seus custos. E, como os mineiros existem essenciais para fazer funcionar a blockchain, desde que haja demanda para usar a blockchain, o preço terá que subir.

3. Exchanges de cripto

As principais criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, são negociadas em múltiplas exchanges, que são plataformas de criptomoedas que servem como câmbios digitais de troca entre cripto e cripto, ou cripto e fiat. Quase todas as exchanges de criptomoedas oferecerão os tokens mais populares.

Mas alguns tokens menores podem estar disponíveis apenas em exchanges selecionadas, limitando assim o acesso de alguns investidores. Alguns fornecedores de carteiras farão cotações para a troca de qualquer conjunto de criptomoedas em várias plataformas, mas eles exigirão o pagamento de uma taxa por fazê-lo, aumentando o custo do investimento. Além disso, se uma criptomoeda for pouco negociada em uma exchange pequena, a taxa que a plataforma leva pode ser muito grande para alguns investidores.

Se uma criptomoeda for negociada em mais plataformas, ela pode aumentar o número de investidores dispostos e capazes de comprá-la, aumentando assim a demanda. E, à medida que a demanda aumenta, o preço sobe.

4. Concorrência

Existem milhares de criptomoedas diferentes, com novos projetos e tokens lançados todos os dias. A barreira à entrada é relativamente baixa para novos concorrentes, mas a criação de uma criptomoeda viável também depende da construção de uma rede de usuários dessa moeda.

Um aplicativo útil na blockchain pode construir rapidamente uma rede, especialmente se ele apresentar uma melhora em relação a um aplicativo concorrente. Se um novo concorrente ganha impulso, ele retira valor da concorrência existente, baixando assim o preço do competidor à medida que o token do novo concorrente vê seu preço subir.

5. Governança interna

As redes de criptomoedas raramente obedecem a um conjunto de regras estáticas. Os desenvolvedores adaptam os projetos com base na comunidade que os utiliza. Alguns tokens – chamados tokens de governança – dão a seus titulares direito de opinar sobre o futuro de um projeto, incluindo como um token é minerado ou usado. A fim de fazer qualquer mudança na governança de um token, é necessário que haja consenso entre as partes interessadas.

Por exemplo, o Ethereum está trabalhando para atualizar sua rede de um sistema de Proof of Work para um sistema de Proof of Stake, tornando inúteis grande parte dos equipamentos caros de mineração em centros de dados ou nos porões das pessoas. Isso sem dúvida terá um impacto sobre o valor do Ethereum.

De modo geral, os investidores gostam de uma governança estável. Mesmo que haja falhas na forma de funcionamento de uma criptomoeda, os investidores preferem o diabo que conhecem ao diabo que não conhecem. Como tal, uma governança estável, onde as coisas são relativamente difíceis de mudar, pode ser valorizada, fornecendo preços mais estáveis.

Por outro lado, o lento processo de atualização de software para melhorar os protocolos pode limitar o lado positivo dos valores da criptomoeda. Se uma atualização destravaria o valor para os portadores de criptomoeda, mas leva meses para ser executada, isso prejudica as atuais partes interessadas.

6. Regulamentos e exigências legais

Há alguma confusão sobre quem deve regular a troca de criptomoedas. Nos Estados Unidos, a Securities and Exchange Commission (SEC) diz que as criptomoedas são títulos como ações, enquanto a Commodity Futures Trading Commission (CFTC) diz que são commodities como café ou ouro.

Ambos não podem reivindicar autoridade reguladora sobre as plataformas de criptomoedas. Uma decisão determinante poderia proporcionar maior clareza e melhorar os valores de criptomoedas, e abriria portas para produtos financeiros relacionados a criptomoedas mais amplamente negociadas.

Já no Brasil, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal aprovou em 22 de abril um projeto de lei que regula o mercado das criptomoedas. O projeto entende que os ativos digitais não são fundos imobiliários, por isso não serão regulados pela mesma entidade que regula o mercado de ações. Além disso, o projeto diz que o Poder Executivo apontará quais serão as entidades governamentais responsável pela regulação do mercado cripto. O senador Irajá, autor do projeto, afirmou que

“A intenção do projeto é coibir ou restringir práticas ilegais, como a lavagem de dinheiro, evasão de divisa e tantos outros crimes nesse segmento. Há um mercado que é lícito, legal que é a grande maioria desse mercado, mas há exceções.”

A regulamentação é necessária para permitir formas mais fáceis de negociar a criptomoeda. Produtos como ETFs ou contratos futuros fornecem mais acesso à criptomoeda para os investidores, aumentando seu valor. Além disso, a regulamentação poderia permitir aos investidores tomar posições rápidas ou apostar contra o preço de criptomoedas com contratos futuros. Isso poderia estabeleceria um valor mais estável e reduziria a volatilidade dos preços das criptomoedas.

A regulamentação também poderia afetar negativamente a demanda por criptomoedas. Se um órgão governamental mudar as regras para desfavorecer o investimento ou uso de criptomoedas, ele poderia derrubar o preço delas.

O valor de uma criptomoeda

Se você entender o princípio central da oferta e demanda por trás do valor da criptomoeda e os fatores que a influenciam, pode tomar melhores decisões de investimento em criptomoedas.

Se você acredita que a demanda vai aumentar por razões X, Y, e Z e não acha que a oferta vai acompanhar, essa criptomoeda pode ser um bom investimento. Mas esteja ciente que os governos ainda não têm as melhores práticas para regular as criptomoeda, o que faz dela um investimento particularmente arriscado e volátil, não importa o que aconteça.

Guias de criptomoedas


Permaneça conectado

Junte-se a mais de 100.000 de seus colegas e receba nosso boletim informativo semanal que apresenta as principais tendências, notícias e análises de especialistas para ajudar a mantê-lo à frente da curva

Tópicos populares

Nenhum conteúdo encontrado, volte em breve!