logo crypto.com demite funcionários

O CEO da Crypto.com Kris Marszalek disse durante o fim de semana que seu exchange de criptomoedas irá demitir 260 trabalhadores, representando cerca de 5% de toda a sua força de trabalho.

Em uma série de tweets no sábado, Marszalek escreveu:

“Nossa abordagem é manter o foco na execução fora do nosso roteiro e na otimização para a lucratividade enquanto o fazemos. Isso significa tomar decisões difíceis e necessárias para assegurar um crescimento contínuo e sustentável a longo prazo, fazendo reduções direcionadas de aproximadamente 260 ou 5% de nossa força de trabalho corporativa”.

As demissões da empresa são o mais recente sinal de retração no mercado, prejudicado pela alta inflação e pela guerra em curso na Ucrânia. Bitcoin, a maior criptomoeda do mundo, caiu na segunda-feira para seu ponto mais baixo desde 2020.

Isto segue o colapso do TerraUSD em maio, cuja queda causou a perda de US$ 200 bilhões em apenas um dia no mercado de criptomoedas.

Demissões na Coinbase

Outra empresa que anunciou demissões em massa devido ao “inverno cripto” foi a Coinbase. Um pronunciamento do CEO e co-fundador da empresa, Brian Armstrong, no blog no Medium da Coinbase, afirma que 18% dos funcionários serão demitidos, o que representa cerca de 1.000 funcionários.

No anúncio, Armstrong afirma que

“Hoje estou tomando a difícil decisão de reduzir o tamanho de nossa equipe em cerca de 18%, para garantir que permaneçamos saudáveis durante esta recessão econômica. Quero explicar a vocês porque estou tomando esta decisão abaixo, mas primeiro quero começar por assumir a responsabilidade de como chegamos aqui. Eu sou o CEO, e o dólar pára comigo.”

Listando os motivos da demissão em massa, o CEO afirma que as condições do mercado de cripto mudaram nos últimos meses devido à recessão, o que torna o gerenciamento de custos algo vital para a sobrevivência da empresa. Além disso, o crescimento da Coinbase no último ano foi rápido demais, com um aumento no número de funcionário de 200% entre o começo de 2021, quando eles tinham 1.500 funcionários, e os primeiros meses de 2022.

Ascensão da Coinbase

A casa de câmbio digital com sede em San Francisco, Califórnia, foi fundada em junho de 2012 por Brian Armstrong e Fred Ehrsam. A equipe fundadora se matriculou no programa de incubação no verão de 2012 do Y Combinator. Em outubro de 2012, a empresa lançou os serviços para comprar e vender Bitcoin através de transferências bancárias.

Em maio de 2013, a empresa recebeu um investimento de US $ 5 milhões na Série A liderado por Fred Wilson da empresa de capital de risco Union Square Ventures.Em dezembro de 2013, a empresa recebeu um investimento de US $ 25 milhões, das firmas de capital de risco Andreessen Horowitz, Union Square Ventures (USV) e Ribbit Capital.

Ascensão da Crypto.com

A empresa foi inicialmente fundada por Bobby Bao, Gary Or, Kris Marszalek e Rafael Melo em 2016 com o nome “Mônaco”. Em 2018, a empresa foi rebatizada como Crypto.com após a compra de um domínio de site que era propriedade do professor e pesquisador de criptografia Matt Blaze. A venda do domínio foi avaliada entre US$5-10 milhões.

A Crypto.com é operada pela Foris DAX Asia, uma empresa sediada em Singapura que é uma subsidiária da Foris DAX MT (Malta) Limited. No início de 2022, a empresa tinha 50 milhões de clientes e 4.000 funcionários.

Como prova de seu crescimento no mercado de plataformas de criptomoedas, em novembro de 2021, a Crypto.com pagou 700 milhões de dólares pelos direitos de nomeação do estádio Staples Center em Los Angeles, fundando a Crypto.com Arena. Ela também investiu fortemente em publicidade, com uma campanha com o ator Matt Damon.

O investimento em criptoativos pode não ser adequado para investidores novatos, que podem perder o total do valor investido.

Notícias relacionadas


Tópicos populares

Nenhum conteúdo encontrado, volte em breve!